Tudo acontece na Chapada dos Veadeiros, GO

Prepare-se para longas pernadas, vistas incríveis, cachoeiras deliciosas e situações inusitadas. Quando chegamos em Alto Paraíso – em Goiás – ficamos surpresos ao nos deparar com um lugar místico, com uma super vibe hippie/natureza, gringos de todo lugar do mundo, muitas pessoas e histórias curiosas.

Consegui um vôo CG x ( SP conexão) x BSB pela Latam por R$240. Descemos em Brasília e alugamos um carro pela Localiza. Pegamos um hb20, 1.6, automático e sedan. Primeira dica que eu dou é: tente não pegar esse mesmo carro pois ele não é muito indicado para enfrentar os longos trechos de terra que levam às trilhas. E mais: alugue com o seguro completo do carro, mais pra frente você vai entender o motivo. Como estávamos em cinco, ficou R$145 para cada um por quatro dias de carro. Depois de 3 horas em uma estrada tranquila, chegamos em Alto Paraíso.

Nos hospedamos no Buddy’s Hostel, por quatro noites em um quarto com banheiro e cinco camas, pagamos R$192 no total (cada um). O lugar é simples porém extremamente acolhedor, aquele tipo do lugar que faz você se sentir em casa. A dona Alice sempre bem humorada, mega prestativa, ajudando a gente com tudo que precisávamos. E o seu Aldemar, uma figuraça, sempre disposto a indicar os melhores passeios, ensinar os macetes, desenhar mapinhas para não errarmos nenhum caminho.

buddys-hostel

Fotos do hostel. No meio a área comum e na direita a frente do nosso quarto.

cozinha-buddys

Na cozinha do hostel você pode levar suas comidinhas, guardar na geladeira, cozinhar e claro, lavar tudo depois.

eu-e-o-cachorro-do-hostel

eu, me enturmando com o mascote do hostel.

• Chegamos sábado mais para o final da tarde e decidimos ir na Cachoeira dos Cristais, que era bem pertinho da cidade. O lugar cobra R$15 para entrar e tem estrutura com bar, banheiro, redário, perfeito para famílias com crianças. O acesso até a maior cachoeira é possível através de uma pequena trilha (aprox. 1km ida e volta) que é uma decida fácil de fazer.

De cara já tivemos uma experiência… eu diria bem diferente. Ao descer para a cachoeira principal, passamos por várias quedinhas d’água e em uma delas tinha um casal, digamos, empolgados demais no amor. Sem pudor algum, na frente de todo mundo, eles estavam lá com metade do corpo pra dentro da água e metade pra fora mandando ver hahaha!

cachoeira-cristais

Cachoeira dos cristais: tente ir nos horários com mais sol, a água é bem gelada. Peguei essa foto daqui pois as minhas ficaram muito ruins haha.

Depois de curtir um pouquinho a água, pegamos o carro e fomos assistir o pôr do sol em um lugar chamado Pouso Alto, distante 17km de Alto Paraíso, é o pico mais alto do estado do Goiás com 1.676m de altitude.

A noite fomos jantar num restaurante/barzinho que fica na avenida principal – e única – da cidade chamado Vendinha 1961. Pedi um macarrão a bolonhesa que não estava lá grandes coisas, mas um prato de R$25 servia tranquilamente três pessoas, e por isso valeu a pedida hehehe. A porção de fritas com bacon e queijo estava muito boa.

pouso-alto

Pôr do sol em Pouso Alto.

• No domingo, fomos até o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, o cartão postal do lugar. Para chegar lá você precisa ir até o distrito de São Jorge e de lá seguir uma estrada de terra que chega até a portaria do parque. O distrito é um lugar muito curioso que não parece fazer parte do Brasil. É bem pequenininho, as ruas são de terra, tem vários albergues bem rústicos, casinhas coloridas e hippies, paredes grafitadas, mandalas penduradas nas casas, obras de arte espalhadas pelo lugar.

Tudo lá faz referência à espiritualidade, energia, paz, simplicidade e amor pela natureza. Vale a pena dar uma volta por São Jorge antes de seguir o rumo. Quando estiver voltando do passeio pelo Parque, você pode parar no restaurante Buritis para matar a fome.

parque-nacional-da-chapada

Portaria do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

Ao chegar na Portaria do parque, os guias voluntários lhe indicarão as diferentes trilhas que podem ser feitas. As duas mais comuns são a trilha Saltos do Rio Preto e a trilha dos Cânions e Carioquinhas. Nós escolhemos a segunda opção (embora eu quisesse muito ver a cachoeira dos Saltos), porque era a mais fácil de fazer. Depois eu descobri que “mais fácil” não significa fácil e sim, “menos difícil”. São uns 10km (ida e volta) embaixo de um sol de rachar, passando por vários desníveis, pedras, subidas, descidas e mais pedras. O acesso até a cachoeira Carioquinhas não é fácil, é necessário descer um paredão de pedras e pedregulhos que exige um certo esforço físico. E depois subir tudo de novo.

Vá de tênis, leve muita água. Muita água mesmo. Dentro do parque não existe nenhum tipo de estrutura de banheiros ou venda de comida. O passeio é gratuito.

trilha-dos-canions

Trilha dos cânions: trechos de pedra, pedra, pedra e até uma ponte suspensa para ajudar no acesso.

canions

Trilha dos cânios, já tínhamos andado uns 5km nesse ponto.

trilha-dos-canions

trilha dos cânions: escaladinha básica para chegar ao cânion.

canions

Trilha dos cânions

trilha-dos-canions-de-cima

trilha dos cânions: vendo o cânion de cima pra baixo (medo).

Ao chegar lá embaixo na cachoeira, aproveite a vista deslumbrante. Como tínhamos levado sanduíches, água e chocolate, fizemos nosso lanchinho por ali.

cachoeira-cariocas-2

Cachoeira carioquinhas: não tem sombras disponíveis. Ainda bem que algumas nuvens apareceram.

cachoeira-cariocas

Cachoeira carioquinhas: Um peixe me picou bem doído nas costas hahaha

Saímos do parque lá pelas 16h e fomos em direção ao Vale da Lua, outro ponto turístico bem comum da chapada. Como fica localizado em uma propriedade particular, eles cobram R$20 por pessoa. Tem um pequeno bar que vende água, água de côco, refris e alguns salgados na entrada. Mais uma vez, vá de tênis pois é proibido entrar de chinelo lá por causa do terreno muito irregular.

vale-da-lua-2

Vale da lua: o “solo lunar” é realmente impressionante.

vale-da-lua-3

Vale da lua: existem quedinhas d’água e lugares para banhar, porém muito cuidado ao descer até as piscinas naturais.

vale-da-lua-5

Vale da lua: piscina natural para banho. De acordo com as placas no caminho, é proibido fazer nudismo haha.

Chegando a noitinha no hostel nos deparamos com um pequeno “probleminha” bem comum em Alto Paraíso: a cidade inteira estava sem luz. Banho francês geladíssimo (só pra lavar as partes importantes) e iluminação a luz de velas nos quartos e ainda por cima começou a chover. Fomos procurar um lugar para comer e acabamos parando na pizzaria Chapadócia. Ainda bem que enquanto estávamos lá a luz da cidade foi voltando.

chapadeira

Até cerveja artesanal o pessoal da Chapada faz

Segunda-feira seguimos para o tão esperado passeio da Cachoeira Santa Bárbara. Eu estava louca para ir nesse lugar, tanto para ver de perto a famosa água cristalina azulada, quanto para conhecer a comunidade quilombola de kalunga localizada nas terras aonde fica a cachoeira. É necessário pagar R$20 para entrar e ainda contratar um guia no local por R$80 (valor que pode ser dividido em até 8 pessoas). 

quilombola-kalunga

Comunidade quilombola Kalunga. Nessa parada é onde você contrata o guia (que é um nativo local) para levar à cachoeira Sta Bárbara.

Para chegar lá, vá em direção à cidade de Cavalcante, distante 50km de Alto Paraíso e depois subir 30km em estrada de terra na montanha em direção a comunidade, no distrito de Engenho II. Durante esse percurso de terra nosso carro teve um problema no motor que superaqueceu e tivemos que estacionar no meio do caminho para esperar a fumaça se dissipar e a coisa toda esfriar. O radiador estava seco e tivemos que usar toda a água que levamos para beber, para colocar no motor.

santa-barbara-trilha

Nosso carro pifado e fotos da curta trilha que dá acesso à cachoeira de Santa Bárbara.

Antes de iniciar sua trilha com o guia, combine com ele um horário para o almoço. Pagando R$25, eles servem uma comida deliciosa feita no fogão à lenha. Simples mas muitíssimo saborosa. E a experiência de comer por ali na comunidade é incrível, eu achei que valeu muito a pena. Principalmente depois de ficar um tempo nadando e curtindo a cachu, a fome vem que vem.

santa-barbara-2

Santa Bárbara: passeio obrigatório na chapada.

santa-barbara-dome

Santa Bárbara: esse é o melhor lugar para tirar fotos divertidas embaixo d’água.

comunidade-quilombola-2

Depois de caminhar e nadar, uma comida caseira no fogão a lenha: perfeito.

comunidade-quilombola-3

Essa senhora muito simpática me deu um coquinho de presente hahaha.

A noite saímos pra jantar em um restaurante vegano – coisa que é muito comum nessa região – chamado Cravo & Canela. Pensa numa comida fabulosa, o melhor hamburger de grão de bico que eu já comi em toda minha vida. Pedi também um milk shake de manga que estava uma delícia.

cravo-e-canela

Meu hamburger de grão de bico e o prato de salada do marido.

• Terça-feira: o filé. De tanto nosso host, o Aldemar, falar bem da Catarata dos Couros, resolvemos acatar a dica dele e ir conhecer. E realmente não nos decepcionamos, o lugar é animal (por falta de um elogio que faça mais jus). Pegando em direção à São João d’aliança, são 50km de asfalto e mais 30km de terra.

Na entrada do local, existe uma pequena barraca de sucos (de um morador da região) onde pela primeira vez experimentei suco de cajá, e cara, que suco delicioso, estava muito gelado, muito saboroso, tomamos na ida do passeio e no retorno.

O passeio é gratuito, porém como existe um morador local que fica por ali cuidando os carros, ele pede uma pequena contribuição pelo serviço voluntário. Combinamos com ele depois do passeio almoçar no sítio da dona Luzia, que serve comida caseira para os viajantes que quiserem, e mais uma vez, acertamos em cheio!

catarata-dos-couros-3

A trilha até as cataratas dos Couros é bem fácil até certo ponto. Ao todo são uns 2km (ida e volta).

catarata-dos-couros-2

Cataratas dos Couros: Essa é a mesma cachoeira da foto da capa do post (a primeira cachoeira).

catarata-dos-couros-4

Cataratas dos Couros: descendo a trilha até o final (onde o acesso exige um pouco mais do físico), a vista da segunda cachoeira é INCRÍVEL.

catarata-dos-couros

Cataratas dos Couros: a água tem uma temperatura perfeita e o local para banho é sensacional.

Almoçamos no sítio da dona Luzia como combinado, nos serviram um arroz com feijão espetacular com carne de porco, abobrinha, ovo frito e ainda doce de leite de fazenda para sobremesa e um café preto para tentar acordar do cansaço.

dona-luzia

Sítio da dona Luzia: comida de fazenda no fogão à lenha.

Antes de voltarmos para Alto Paraíso, paramos no Jardim de Maytrea para ver o pôr do sol, uma espécie de mirante que fica na beira da estrada, mas assim.. eu sinceramente não achei que tem nada demais, é apenas uma paisagem com o Morro da Baleia ao fundo, mas como estávamos entre amigos, com toda aquela animação mística, qualquer lugar é lugar pra se divertir né?

jd-maytreia

Jardim de Maytreia: reza lenda que o local é “místico”

Mais tarde, já na cidade fomos dar uma última volta e comprar uns souvernis. Parei num lugarzinho chamado Empório Santa Maria afim de tomar um suco (depois do nosso almoço monstro eu nem estava com fome ainda) e acabei experimentando um sabor que eu não conhecia, mangaba (uma fruta típica do cerrado) que estava muito bom.

Quarta feira de manhã, partimos de volta para casa 🙂

Deu certo? Nossa, demais! A Chapada dos Veadeiros é incrível, vá com disposição pois existem trilhas de todos os tamanhos e dificuldades. Leve muita, muita água em todas elas e muuuito filtro solar. Tente ficar ao menos uma semana, pois quatro dias não foram absolutamente nada perto de tudo que o lugar oferece.

Junto comigo foram meus amigos Renato (marido), Kakau, Cris e Buxexa, e mesmo pegando chuva, carro quebrado, cidade sem luz, foram super parceiros e não perderam o bom humor momento nenhum!

Anúncios

2 comentários sobre “Tudo acontece na Chapada dos Veadeiros, GO

  1. Primeiro: por favor, coloca o plugin do Disqus aqui.
    Segundo: eu tinha visto suas fotos no instagram, já tinha achado legal, mas depois de ler seu relato, parece que estive passeando com vcs lá!
    Fotos muito lindas, visual espetacular.

    Adorei o site, mas coloca o plugin do Disqus, tá? XD
    Bjs!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s