Comendo muito (e bem) em Brasília DF

Uma coisa que eu fiz muito e bem em Brasília foi comer. E olha que foram apenas dois dias e mesmo assim ainda tem muito lugar na lista pra voltar e visitar.

Clique aqui para ver como foi o fim de semana em Brasília e o que eu consegui fazer em tão pouco tempo.

• Café da manhã honestão

pão dourado

Pão Dourado: bom custo benefício

Na padaria Pão Dourado tomei um café da manhã simples porém delicioso. Comi um pão francês com ovo mexido e peito de peru e uma jarrinha de suco de laranja. A padaria oferece também um mercadinho cheio de opções e o cardápio também tem omelete, salgados, sanduíches, sucos, enfim, bem completinho. Dentre todos os preços de Brasília que eu achei tudo caríssimo, o dessa padaria foi o que eu achei  mais normal e próximo à realidade da minha cidade natal haha.

• Almoço clichezão

bier-fass-02

Bier Fass (Pontão Lago Sul)

O Pontão do Lago Sul é bem gostoso, tem algumas atividades para fazer na água, algumas pessoas nadando, em barcos, fazendo stand up paddle (havia a possibilidade de alugar na hora se quisesse), alguns bares, restaurantes, quiosques. Lugar bacana mesmo, muito bonito. Acabamos sentando em um tradicional alemão, chamado Bier Fass, mas ao olhar os preços no cardápio, meu lado pobre deu aquela chorada e acabei optando pelo buffet de feijoada que estava rolando por R$49 a pessoa. E olha, tava muito boa!

Ainda tava tendo uma música ao vivo (um grupo de chorinho) que super combinava com feijoada. Chegamos lá umas 13h30 e a comida ainda tava fresquinha e o restaurante bem movimentado. Quando saímos, tipo lá pelas 15h quase, ainda havia bastante movimento e ainda tinha gente almoçando!

• Bar tradicional
Um bar bem tradicional da nossa capital, é o Libanus, tem porções, comida árabe, cerveja, enfim, bastante opção. O atendimento é meio bosta e você tem que dar aquela implorada pro garçom vir até você, mas pra quem gosta daquela coisa mais buteco-com-cadeira-de-plástico, fica essa dica. Eu ainda tava assustada de pagar 20 reais numa jarrinha de suco, mas fazer o que né, aparentemente esse era o preço normal.
O cardápio é bem completo, tem bastante coisa. Durante o tempo em que ficamos nesse bar, fomos abordados por alguns ambulantes e também por um repentista que até fez música pra gente, tirando um sarro com a nossa cara.

Tinha uma turma bem grande assistindo jogo na tv e toda hora que saía (ou ameaçava sair um gol) era a maior farra. Apesar do atendimento, bacana o lugar.

• Pausa para a sobremesa

casa-doce-04

Casa Doce: muitas opções pra escolher

Lugarzinho gostoso pra sentar e comer um docinho entre um passeio e outro é na Casa Doce. As opções são tantas que a gente fica até meio perdido sem saber por onde começar. Tomei um gelato de pistache que estava ma-ra-vi-lho-so e também pedi um brigadeiro e um docinho de nozes. Mas olha, ainda tinha muito mais coisa que eu queria experimentar, só que não cabia 😦

 

• O achado (que turista não encontra por conta própria)

burgster-01

Burgster: hamburgueria no Guará

Sabe aquele lugarzinho, que é uma pérola, verdadeiro achado, porém que sai completamente do rolê turístico tradicional, portanto só alguém que mora na cidade vai poder te dar essa dica. Por sorte, como estávamos com um amigo que mora em Brasília há anos, ele nos levou pra comer na Burgster, no distrito do Guará.

Aquele lugar simplão que você respeita. Comida gostosa (hamburguer), maionese da casa deliciosa, atendentes mega simpáticos (segundo meu irmão que mora em Brasília há dois meses, o melhor atendimento que ele teve até agora), e ainda por cima um músico tocando o melhor dos rock n roll das antigas.

 

• A cereja do bolo

mangai-01

Mangai: comida, comida e mais comida

Bem que me avisaram “se for pra Brasília, vá ao Mangai“, pois eu segui os conselhos e fui. O restaurante é gigante e é melhor chegar cedo, pois 10 minutos depois que chegamos (12h15), formou-se uma fila imensa, tipo fila de brinquedo da Disney sabe? E mesmo sendo um lugar enorme, com buffet por Kg a comida não decepciona e muito pelo contrário, ela surpreende.

As mesas de buffet são gigantes e de sobremesa também. Só de arroz, haviam vários tipos diferentes, peixes, carne seca, massas, tudo, tudo! O prato que você usa pra se servir é uma bacia praticamente, pra conseguir caber tudo dentro.

E antes de ir embora, ainda comprei pra levar pra casa o “pão de macaxeira”, que parece um panetone (só no formato, não em gosto). Chegando em casa (horas depois de fazer a digestão, obviamente) esquentei na sanduicheira e passei uma manteiga e nossa senhora que delícia, socorro!

E deu certo? Socorro gente, deu tão certo que em dois dias consegui a proeza de voltar pra minha cidade sem conseguir mais fechar a calça direito.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s